Após um ano de interdição, nova ponte é instalada na travessia entre o Sítio Cercado e Alto Boqueirã


Após um ano de interdição, foi encerrada hoje a obra de instalação da nova ponte para travessia de pedestres sobre o Ribeirão dos Padilhas, na divisa entre os bairros Sítio Cercado e Alto Boqueirão. A ponte havia sido interditada em novembro de 2017 após fortes chuvas que causaram a queda de parte de sua estrutura.

O vereador Marcos Vieira, que acompanhou o caso durante todo o tempo e cobrou assiduamente pela rápida solução, agradece pela execução e fim da espera que preocupava todos os moradores. "Foram grandes as dificuldades enfrentadas neste um ano sem a travessia, principalmente para os alunos do CEI Érico Veríssimo que moram no Sítio Cercado e precisaram durante este tempo ampliar de forma significativa o seu trajeto até a escola. Enfim a população teve seu direito de ir e vir restabelecido", declarou.

A queda da ponte afetou centenas de moradores que a utilizam diariamente para facilitar o seu trajeto ao trabalho, acesso ao transporte coletivo e ainda Escolas, CMEIs e demais equipamentos públicos.

Histórico

O vereador Marcos Vieira já havia feito uma Indicação à prefeitura em abril do ano passado solicitando a substituição da ponte por uma de concreto que, inclusive, permitisse a passagem de veículos a fim de dar mais segurança aos pedestres e melhorar a ligação entre os dois bairros. Novamente, dias antes da ponte ceder, em novembro, Marcos denunciou em plenário a precariedade da estrutura que estava a ponto de cair e pediu por providências.

No dia 16 de novembro de 2017 a ponte cedeu e, desde então, manteve-se interditada no aguardo pelo seu reparo. Na época, foi anunciado que seria iniciada uma obra emergencial para recuperação da estrutura, porém, não ocorreu. Em fevereiro deste ano, Marcos realizou um pedido oficial de informação à prefeitura para entender o motivo do atraso e foi informado que a obra estava em processo final de licitação. Recentemente, em outubro, o pedido de informação foi refeito a fim de entender a demora pelo início de execução da obra, porém não houve resposta até o presente momento.

#Notícia

17 visualizações0 comentário