Sugestão de mudança no atendimento da URBS proposta pelo vereador Marcos Vieira é aprovada


Fonte: Site Prefeitura Municipal de Curitiba

Na última semana (14), a sugestão à prefeitura, pelo vereador Marcos Vieira (PDT), foi aprovada em plenário, para que o atendimento agendado das pessoas idosas para questões sobre o cartão transporte na sede da URBS na Rua da Cidadania Matriz seja facilitado.


Segundo o vereador, atualmente a URBS não possui ninguém para atender exclusivamente o público que apresenta dificuldade para utilizar os totens de agendamento de atendimento, que podem ser feitos presencialmente ou por meio on-line, entretanto, ambas as formas exigem conhecimentos técnicos digitais, o que não costuma ser comum entre as pessoas idosas, que necessitam desse auxílio para que possam resolver questões envolvendo o cartão-transporte.


Apesar dessa carência ocorrer ao longo do dia, complementa Vieira, ela se mostra mais presente no período da manhã, já que a URBS só abre de tarde (o que não é uma garantia de atendimento). Que destaca aqui que apesar de ser mais comum entre esse público, o problema não é apenas presente entre a população idosa, pois usuários do serviço em qualquer idade podem apresentar essa dificuldade, o que acaba por os deixar expostos e vulneráveis a desconhecidos mal-intencionados.


A sugestão aprovada propõe a presença de funcionários destinados exclusivamente para auxiliar a população que possui dificuldades na operação dos totens e não apenas no período da tarde, mas no da manhã também.


“Por isso indiquei uma sugestão que foi aprovada em plenário para que a URBS disponibilize uma pessoa para ficar junto ao totem para este trabalho de orientação, de manhã e à tarde, uma vez que esses idosos e demais pessoas que enfrentam dificuldade com a tecnologia ficam expostas, contando com a ajuda de estranhos.”, defendeu o vereador.


A ideia, comentou o parlamentar, surgiu através das reclamações do público, principalmente nas redes sociais, relatando que ao utilizar o serviço presenciavam muitas pessoas ao seu redor, pedindo ajuda, acabando por deixar documentos pessoais e celulares em suas mãos, mesmo que fossem desconhecidos. Para Vieira: “A tecnologia facilita muito nosso cotidiano, mas ela não pode ser usada para excluir ninguém, ela deve ser uma opção mais prática e não a única.”.


Agora a população aguarda o momento em que a sugestão será atendida pela prefeitura ou que ela consiga atender de alguma outra forma as necessidades dessa parcela, para que todas as carências sejam amparadas.


0 visualização0 comentário